Como prevenir o engasgo – Apresentação adequada dos alimentos de alto risco

Este é um texto adaptado do post Prevenindo o engasgo: a escolha do adulto faz toda a diferença, do blog da fonoaudióloga Aline Padovani, que fala de alimentos que apresentam riscos ao bebê e qual a melhor forma de apresentá-los na prática!!

Quando praticamos o BLW, é fundamental tomar certos cuidados para tornar o ambiente mais seguro. Dessa forma podemos introduzir os sólidos de maneira tranquila e prazerosa, aproveitando todas as vantagens do método, sem expor o bebê a riscos.

 

Retomando algumas recomendações mencionadas no post anterior, em que falo da diferença entre o reflexo gag e o engasgo, lembre-se que durante as refeições é importante:

👉 Conhecer bem as manobras de desobstrução que você pode fazer em casa, elas são úteis para qualquer método de introdução alimentar e para engasgos com líquidos.

👉 Insistir para que os bebês comam à mesa, sentados. Evite alimentá-los enquanto correm, andam, brincam, estão rindo. Não os deixe deitarem com alimento na boca.

👉 Supervisionar SEMPRE a alimentação de bebês, nunca deixá-los comendo sozinhos.

👉 Não distrair o bebê. Não provocar risadas, ele pode tragar um alimento de forma errada por conta da respiração, o ideal é que esteja concentrado no que está fazendo.

👉 Não apressar o bebê, deixá-lo comer no seu tempo. Reserve tempo para fazer as refeições com calma.

👉 Não levar o alimento à boca do bebê, é importante que ele tenha o controle do que entra e sai.

👉 Não meter o dedo na boca do bebê quando ele tiver um reflexo gag para retirar o alimento, você pode empurrá-lo mais ao fundo sem querer. Mantenha a calma e observe, conte até 15. Na maioria dos casos o bebê saberá expulsar o alimento, mas se você ficar desesperado pode deixá-lo nervoso e o risco de engasgo é maior. Lembre-se que o gag é um sistema natural de defesa do corpo para expulsar o pedaço de alimento muito grande por meio de uma “ânsia de vômito”, ele previne o engasgo, portanto é nosso aliado!

👉 Ficar atento às crianças mais velhas. Muitos acidentes ocorrem quando irmãos ou irmãs mais velhas oferecem alimentos perigosos para os menores. Oriente-as para que não ofereçam comida aos bebês.

👉 Adequar a forma de apresentação dos alimentos para que eles não ofereçam perigo ou evitar alimentos perigosos de acordo com a idade do bebê.

 

E quais são os alimentos que apresentam riscos? Os alimentos que mais frequentemente estão relacionados ao engasgo são:

👆 Vegetais duros crus e verduras cruas
👆 Casca de fruta e frutas duras cruas (como a maçã e a pera verde)
👆 Uvas inteiras*
👆 Uvas passas
👆 Pedaços grandes e/ou rígidos de carne*
👆 Frutos secos e sementes (amêndoas, castanhas, amendoim, castanhas, nozes, semente de girassol, caroço de azeitona, etc.)*
👆 Grãos crus (como feijão, arroz, milho, etc.)
👆 Alimentos em forma de cordão (exemplo: broto de feijão, espaguete, verduras (ex: couve) cortadas em tiras, etc.)
👆 Pães de forma e/ou pães brancos industrializados “massudos” (quando misturados à saliva formam uma pasta grudenta que pode dificultar a mastigação e deglutição do bebê, levando à gags excessivos, possível engasgo ou vômito).
👆 Queijos duros ou pegajosos / pedaços grandes e rígidos de queijos*
👆 Creme de amendoim ou cream cheese em blocos grandes (pegajosos e que grudam no céu da boca)
👆 Cubos de gelo
👆 Doces (especificamente doces duros, como balas e pirulitos, doces molengos ou pegajosos, como gelatina e marshmallow. Pode não parecer, mas a gelatina é perigosa porque escorrega muito fácil e, quando não mastigada, um pedaço grande pode obstruir a via aérea)*
👆 Salsichas e linguiças*
👆 Pipoca – principalmente o piruá*
👆 Salgadinhos (principalmente duros como batata-frita, Doritos, Pretzels, etc.)
👆 Chicletes*

Como muitos desses alimentos não são recomendados aos bebês antes de 1 ou 2 anos, já que é melhor oferecer comida saudável, a lista afinal não é tão grande assim 😊.

O ideal seria esperar para oferecer os alimentos sinalizados com * somente após os 4 anos de idade.

No entanto, isso não significa que os alimentos desta lista sejam proibidos, mas que devemos adequar sua forma de apresentação para reduzir as chances de engasgo.

Os alimentos mais seguros para as crianças são aqueles cortados em pedaços que oferecem baixo ou nenhum risco de “entupirem” a via aérea. Existe um “testador de partes pequenas” (conhecido como “small parts tester” ou “choke tube guide”) que ajuda a determinar quais itens provocam riscos de asfixia. Muitos pais usam um tubo de papel higiênico como referência para testar objetos, mesmo ele sendo um pouco mais largo e alto que o testador oficial. A preocupação com alimentos é não deixar que eles tenham um formato que obstrui totalmente a passagem de ar, o que pode acontecer por exemplo com alimentos redondos como uvas inteiras e tomates cereja ou com alimentos em forma de salsicha.

small-parts1 small-parts-tester300 Fingers-Small-Part-Tester

“Testador de partes pequenas” serve de referência da via aérea para detectar que objeto ou alimento pode facilmente obstruir totalmente a passagem de ar.

Aqui vão algumas dicas de como apresentar os alimentos de forma segura:

👆 Cortar salsichas e alimentos de formatos similares (exemplo: cenoura) no sentido do comprimento, em “formato de batata-frita” – o ideal é fugir do formato que tende a “entupir” a glote, como visto nas ilustrações acima.

👆 Amaciar vegetais e frutas duras, cozinhando-os na água, forno ou vapor, a fim de que se tornem fáceis de mastigar por amassamento com as gengivas. A consistência ideal para BLW é a de salada de legumes: nem muito dura, nem muito mole (pois se desmancha na mão do bebê, que não tem controle da força).

👆 Quando o bebê ainda é “banguela”, você pode oferecer as frutas com parte da casca para que seja mais fácil para ele segurá-las com as mãos (já que a maioria escorrega). Mas é prudente retirar as cascas das frutas quando o bebê já tem dentes e é capaz de “rasgar” a casca com a força da mordida.

Aqui, desde que introduzi o ovo, faço muito hambúrguer para a Nara, é super fácil de agarrar e ela adora.

👆 Carnes

  • Enquanto o bebê ainda não tem o movimento de pinça desenvolvido, você pode oferecer as carnes:
    • moídas em formato de hambúrguer, almôndega ou croquete,
    • bem cozidas, macias, cortadas em tiras ou cubos, no sentido transversal das fibras (assim os pedaços que se soltam ficam pequenos e fáceis de mastigar),
    • desfiadas umidificadas (molho ou purê) em pequenas porções.
  • Conforme o bebê adquire o movimento de pinça, até que ele tenha habilidade para mastigar pedaços maiores com o nascimento dos molares (até os dois anos mais ou menos), o ideal é oferecer a carne:
    • em pedaços bem pequenos,
    • desfiada,
    • moída.

👆 Alimentos pegajosos (exemplo: cream cheese, pasta de amendoim e similares) devem ser apresentados em porções pequenas, pois podem “grudar” no céu da boca.

👆 Ficar atento às sementinhas e aos grãos que podem se desprender de algumas leguminosas como o quiabo e a vagem e escorregar para o fundo da boca. A melhor forma de oferecer esses alimentos é cortadinho em rodelas pequenas quando o bebê já é capaz de pegá-las.

👆 Alimentos fibrosos e/ou duros para mastigar mesmo após o cozimento (ex: quiabo, vagem, brócolis comum, folhas, etc.) são mais fáceis de mastigar se cortados em pedaços pequenos e/ou misturados a outras receitas.

👆 Os frutos secos podem ser triturados antes de serem oferecidos ao bebê.

👆 Milho verde na espiga deve estar bem molinho. Para os “banguelas”, vocês podem “rasgar” os grãos com um ralador de queijo.

👆 Alimentos redondos como a uva, o tomatinho, a cereja, o ovo de codorna e similares são super arriscados e devem ser cortados longitudinalmente em duas ou quatro partes (eu me sinto mais segura cortando sempre em 4 partes 😉). Cortes transversais não são indicados, pois não “quebram” o formato do alimento que é capaz de “entupir” a glote.

IMG_4959

Apresentação da uva desde os 6 meses

👆 Sementes e caroços devem ser retirados.

👆 As folhas podem ser oferecidas cozidas ou cruas, mas sempre bem picadas. Como no início o bebê não consegue pegar os pedacinhos, você pode misturar folhas verdes em outras receitas (ex: omelete), para que o bebê também sinta o gosto “amarguinho” que a maioria das folhas verde-escuras têm.

👆 Evite pães de forma e/ou pães brancos industrializados “massudos”, pois quando misturados à saliva formam uma pasta grudenta que pode dificultar a mastigação e deglutição do bebê, levando a gags excessivos (e possível vômito ou engasgo).

👆 Caso ofereça água durante as refeições, certifique-se de que não há alimento sólido dentro da boca. O manejo de líquidos com os sólidos soltos na boca é extremamente difícil e pode frequentemente levar ao engasgo. Não ofereça líquidos durante um engasgo, isso pode inclusive levar à piora do engasgo e consequente aspiração.

👆 Se ficar em dúvida se é perigoso ou não, não ofereça. Confie no seu sexto sentido, evite estresses desnecessários.

Nara com 12 meses: alface picada, carne cortada em pedaços pequenos, tomate cereja cortado em 4 partes.

Nara com 12 meses: alface picada, carne cortada em pedaços pequenos, tomate cereja cortado em 4 partes.

Conhecendo bem os riscos e sabendo como tornar o ambiente seguro e como agir em caso de necessidade, fica muito mais fácil aplicar o método de forma tranquila e prazerosa. É importante estar consciente de nossas escolhas e bem informados, assim não apenas o bebê estará mais seguro como transmitiremos confiança às pessoas que nos acompanham e se sentem inseguras com o BLW.

Lembre-se também que as preocupações com o engasgo também estão relacionadas com outros objetos, portanto esteja sempre atento e mantenha brinquedos e objetos pequenos fora do alcance do bebê.

Se mesmo depois de ler todas essas informações você se sentir insegura para usar o BLW, não se preocupe, talvez o método não tenha a ver com o seu perfil e isso não é um problema. Existem outras formas de introduzir alimentos respeitando o tempo do bebê, como a Introdução Alimentar ParticipAtiva, mas falaremos disso no blog mais pra frente.

E você, tem alguma dica para compartilhar?

5 Comentários para "Como prevenir o engasgo – Apresentação adequada dos alimentos de alto risco"

  • 6 chaves para garantir o sucesso do BLW – para nara 25 abril, 2016 (5:17 pm)

    […] oferecer as refeições com o bebê sentado e ereto > adequar bem a preparação dos alimentos para que não ofereçam perigo de engasgo > conhecer bem a diferença entre o reflexo gag e o […]

  • Apresentação dos alimentos #1 – Paranara 20 maio, 2016 (1:34 pm)

    […] o engasgo, veja o post Como prevenir o engasgo – Apresentação adequada dos alimentos de alto risco. É muito importante seguir as recomendações de segurança para não expor o bebê a risco de […]

  • comment-avatar
    Raizza Bongiovani 7 setembro, 2016 (11:06 pm)

    Estou começando o Blw e tenho algumas dúvidas,meu bebê acaba arrancando pedaços grandes,ele brinca com ele na boca tem uns gags e devolve,isso é normal? O risco de engasgos são com pedaços muito grandes ou muito pequenos? Até as sementes do tomate? Hj dei tomate e ele chupou a semente e achou o máximo! Muitos gags é sinal de que não estou dispondo os alimentos de forma correta?
    Se vc puder responder vai ajudar infinitamente! Obrigada!😉

    • comment-avatar
      mairasoares 8 setembro, 2016 (7:05 pm)

      Olá Raizza, os gags são totalmente normais, são na verdade um sistema de proteção da boca para prevenir que pedaços grandes ou mal mastigados cheguem ao fundo da boca, o que poderia provocar engasgo. Eles acontecem com muita frequência porque a zona da língua que aciona os gags no bebê está mais pra frente que a zona do adulto (nós temos que enfiar o dedo lá no fundo e pressionar a língua para provocar o vômito, quando fazemos isso a língua empurra nosso dedo para a frente, no bebê, basta o alimento chegar ao meio da língua para que ela empurre a comida para fora).
      As sementes do tomate não oferecem risco de engasgo, o risco seria com alimentos que podem bloquear a entrada de ar (como uvas não cortadas) ou alimentos duros e pequenos que podem voar para dentro (como amendoins).
      Muitos gags é sinal de que ele está tendo um ótimo sistema de proteção (é importante sempre vigiar o bebê e deixá-lo em posição bem ereta) e de que ainda precisa aprender a mastigar bem e lidar com o bolo alimentar dentro da boca, mas é normal, provavelmente ele cospe o alimento e já coloca outro na boca como se não tivesse acontecido nada, não é mesmo?
      Os gags diminuem de frequência rapidinho e vão ficando cada vez mais raros. Você vai se acostumar, conte até 10 (eles costumam durar de 2 a 15 segundos) e respire fundo. Veja vídeos para se familiarizar. Qualquer dúvida, estou por aqui 🙂

Deixar comentário

Seu e-mail não será publicado.