6 chaves para garantir o sucesso do BLW

Quando optamos pelo BLW, sejamos realistas, enfrentamos muitos desafios: a sujeira, o desperdício, o tempo que o bebê demora para comer sozinho, o medo dos possíveis engasgos. Isso pode ser bem desgastante para o cuidador, não há como negar, mas podemos tomar algumas medidas que nos ajudam a não desanimar durante a introdução alimentar do bebê. Acredito que a primeira delas é revermos nossas expectativas. É normal ficarmos ansiosos e nos perguntarmos: “Quando vai começar a comer de verdade? Quando vai parar de jogar comida ou o prato no chão? Quando vai usar os talheres?”

IMG_4337

Aventura com os talheres

É muito mais fácil se nos desapegamos da ideia de que há uma data certa para cada uma dessas conquistas, afinal cada bebê é único e vai aprender no seu tempo, melhor não comparar seu bebê com o da vizinha. Cabe a nós darmos oportunidades para eles experimentarem, sem expectativas de que isso vai acelerar o processo ou garantir que ele vai aprender.

Minha filha começou a usar o garfo sozinha com 10 meses. Antes eu enchia o garfo e ela o agarrava pra levar à boca e com 10 meses começou a pegar o garfo pra tentar encher de comida ela mesma. Claro que falhava e ainda está aprendendo a aprimorar o uso dele, mas se interessou por manipulá-lo sozinha, então sempre lhe ofereço o garfo para que possa treinar. Por outro lado, até hoje (com 13 meses) não consegui usar o prato com ela, dura 2 minutos antes de ir pro chão e acaba me deixando estressada porque tenho que supervisionar muito mais a refeição. Vejo vários bebês que seguem o BLW e usam o prato desde os 6 meses e considero essas mães sortudas. O que me deixa tranquila? Saber que um dia a Nara usará o prato, disso eu tenho certeza. Então prefiro não gerar expectativas, não pensar que está demorando, que o filho da fulana já usa e ela não, que já passou da fase ou algo assim (isso vale para qualquer etapa de desenvolvimento, não é mesmo?). Um dia ela vai se adaptar e vamos descobrir juntas quando será.

Mas focando na ideia do post: Afinal, quais são as chaves para garantir o sucesso do BLW? Com todos esses desafios, você deve estar se perguntando: Será que o BLW se encaixa ao meu perfil?

Quando as três pesquisadoras científicas do BLW Gill Rapley, Sonya Cameron e Amy Brown, foram questionadas sobre as chaves para garantir o sucesso do BLW, elas levantaram os seguintes pontos:

1) Permitir que o bebê esteja no controle da situação sempre. A ideia principal do BLW é dar autonomia ao bebê, permitir que ele coma sozinho. Por mais tentador que seja, especialmente no comecinho, quando ainda está muito desastrado com as habilidades motoras, o ideal é não ajudá-lo. Tente se desapegar de pensamentos: “ah, mas ele está passando fome, me dá pena porque quer agarrar o alimento e não consegue, no fim não come nada”. Agarre-se nestas ideias: ele ainda tem o peito (que até completar 1 ano é o principal alimento), ele está se divertindo, descobrindo sabores, explorando texturas. Com brinquedinhos novos eles também se frustram, faz parte. Ele ainda não sabe que aquilo mata fome, ele ainda não sabe engolir (isso geralmente começa a acontecer ao redor dos 9 meses, mas pode acontecer antes), então é preciso ter paciência (que é o próximo ponto).

21/30 Aqui começo a apresentar algumas chaves para garantir o sucesso do BLW 1) PERMITIR QUE O BEBÊ ESTEJA NO CONTROLE DA SITUAÇÃO SEMPRE. A ideia principal do #BLW é dar autonomia ao bebê, permitir que ele coma sozinho. Por mais tentador que seja, especialmente no comecinho, quando ele ainda está muito desastrado com as habilidades motoras, o ideal é não ajudá-lo. Tente se desapegar de pensamentos: “ah, mas ele está passando fome, me dá pena porque quer agarrar o alimento e não consegue, no fim não come nada”. Agarre-se nestas ideias: ele ainda tem o leite (que até completar 1 ano é o principal alimento), ele está se divertindo, descobrindo sabores e explorando texturas. Com brinquedinhos novos eles também se frustram, faz parte. Ele ainda não sabe que aquilo mata fome, ainda não sabe engolir (isso geralmente começa a acontecer ao redor dos 9 meses, mas pode acontecer antes), então é preciso ter paciência (nosso tema amanhã). E vocês, conseguem deixar o bebê no controle? Quer trazer alguém para a discussão? #marqueumamigo ▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃ Aquí empiezo a presentar algunas claves para garantizar el éxito del BLW 1) PERMITIR QUE EL BEBÉ CONTROLE SIEMPRE LA SITUACIÓN. La idea principal del #BLW es dar #autonomía al bebé, permitir que coma solo. Por más tentador que sea ayudarle, sobretodo al principio, cuando todavía es muy torpe con las habilidades motoras, lo ideal es no hacerlo. Intenta desapegarte de pensamientos como: “es que está pasando hambre, me da pena porque quiere coger la fruta y no lo consigue, al final no come nada”. Agárrate a estas ideas: todavía tiene la leche (que hasta que cumpla 1 año es el principal alimento), se está divirtiendo, descubriendo sabores, explorando texturas. Con juguetitos nuevos también se frustran, es normal. Todavía no sabe que lo que está explorando le quita el hambre, todavía no sabe engullir (en general empiezan a hacerlo sobre los 9 meses, puede que antes), es necesario tener paciencia (el tema de mañana). Y vosotros, conseguís dejar que el bebé controle la situación? Crees que a alguien le interesa el tema? #etiquetaaunamigo

A video posted by 🍓 Nara Led Weaning 🍓 (@blw_nara) on

cdzg23122) Ter paciência. Muita paciência! Lembre-se de que o bebê está aprendendo a comer. Ele vai demorar pra agarrar o alimento, vai derrubar, se sujar, se irritar, pedir peito no meio da refeição, pedir pra sair do cadeirão, te deixar sem entender o que ele quer. Reserve tempo para as refeições, não apresse o bebê, respeite seu tempo. Ficar ansioso vai transmitir nervosismo ao bebê, tornando a refeição tensa. Curta o momento, ele tem que ser prazeroso. Essa fase passa rápido e é super bonita, você vai sentir saudades mais pra frente, pode acreditar.

3) Confiar no bebê. Acredite na autorregulação, só o bebê sabe quando, o que e quanto ele precisa comer. O BLW segue a mesma filosofia do aleitamento materno em livre demanda, que é a recomendação atual da OMS. Se o bebê podia escolher quando e quanto mamar durante os primeiros 6 meses, por que teria que ser diferente quando começa com os sólidos? Se antes permitíamos que ele respeitasse os sinais do próprio corpo, no BLW mantemos essa orientação. Siga oferecendo o leite materno em livre demanda e confie que seu bebê estará bem nutrido, mesmo que ele coma “pouco”. Lembre-se que no primeiro ano de vida o leite é o principal provedor de nutrientes, ele não vira água depois que o bebê completa 6 meses, pelo contrário, ele vai ficando cada vez mais calórico, como bem explica Carlos Gonzalez no início desta palestra sobre Introdução Alimentar.

O alimento sólido que é considerado alimento complementar entre os 6 meses e 1 ano. Agarre-se a essa informação e não dê ouvidos a qualquer pessoa que questione isso. Mostre-se segura e informada sobre o método para não ficar vulnerável a palpites alheios.

23/30 Quais são as chaves para garantir o sucesso do BLW? 3) CONFIAR NO BEBÊ. Acredite na #autorregulação, só o bebê sabe QUANDO, O QUE e QUANTO ele precisa comer. O #BLW segue a mesma filosofia do aleitamento materno em livre demanda. Se o bebê podia escolher QUANDO e QUANTO mamar durante os primeiros 6 meses, por que teria que ser diferente quando começa com os sólidos? O mais lógico é que ele continue respeitando os sinais do próprio corpo, não? Siga oferecendo o leite materno em #livredemanda e confie que seu bebê estará bem nutrido, mesmo que ele coma “pouco”. Lembre-se que no 1o ano de vida o leite é o principal provedor de nutrientes e ele não vira água depois que o bebê completa 6 meses (pelo contrário, ele vai ficando cada vez mais calórico!). Até 1 ano, o alimento sólido que é considerado alimento complementar. Agarre-se a essa informação e não dê ouvidos a quem questionar isso. E para vocês, é difícil confiar na autorregulação? Tá gostando das discussões? #marqueumamigo ▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃▃ Cuáles son las claves para garantizar el éxito del BLW? 3) CONFIAR EN EL BEBÉ. Confía en la #autorregulación, el bebé sabe mejor que nadie CUÁNDO, QUÉ y CUÁNTO necesita comer. El #BLW sigue la misma filosofía de la lactancia materna a #libredemanda. Si el bebé podía elegir CUÁNDO y CUÁNTO mamar durante los primeros 6 meses, por qué tendría que ser diferente cuando empieza con los sólidos? Lo más lógico es que siga respetando su propio cuerpo, no? Sigue ofreciéndole la leche materna a #libredemanda y confía en que tu bebé estará bien nutrido, aunque coma “poco”. Acuérdate que en el primer año de vida la leche es la principal fuente de nutrientes, no se transforma en agua después que el bebé cumple 6 meses, más bien al contrario, se torna cada vez más calórica. Hasta 1 año, es el sólido el que es considerado alimento complementario. Agárrate a esta información y no prestes oídos a lo que dice la gente que te cuestiona. Y para vosotros, es difícil confiar en la autorregulación? Como lo lleváis? Te están gustando las discusiones? #etiquetaaunamigo

A video posted by 🍓 Nara Led Weaning 🍓 (@blw_nara) on

4) Não se preocupar com a bagunça, sujeira, desperdício ou tempo.

eppb4173

Com 6 meses você já deve estar acostumada com a ideia de que com a maternidade não se pode ter controle de tudo. Abstraia, aproveite esse momento e curta ver seu bebê aprender! Te incomoda a sujeira? Coloque um plástico embaixo do cadeirão, forre-o com algum tecido fácil de lavar (ou escolha um fácil de limpar), isso também ajudará a evitar desperdícios. Alimente o bebê só de fralda em dias de calor, use “roupas de guerra”que podem ser manchadas durante as refeições. Entenda que o BLW não é um método rápido (mal sabem os que dizem que seguimos o BLW por preguiça de fazer papinha). Aceitar isso vai te deixar em paz.

5) Permitir que o bebê participe das refeições em família.

oqbu5648

Uma das maravilhas do BLW é poder incluir o bebê nas refeições desde o começo, proporcionando sua integração com os demais familiares nesse momento de tanta troca. A família tende a ficar mais atenta aos sinais de saciedade e fome do bebê e essa comunicação mais efetiva reflete positivamente no desenvolvimento da criança. Claro que é importante que toda a família se alimente de comida saudável, assim o bebê pode comer o mesmo que todos desde o princípio, apenas tendo seus pedaços adaptados para que ele possa se virar sozinho. É muito comum os hábitos alimentares da casa mudarem com a introdução alimentar do bebê. Isso foi o que aconteceu aqui em casa, ainda que o marido não tenha se adaptado muito aos novos costumes, eu mudei completamente minha alimentação para melhor.

6) Seguir critérios básicos de segurança:

ahuv4546

> oferecer as refeições com o bebê sentado e ereto
> adequar bem a preparação dos alimentos para que não ofereçam perigo de engasgo
> conhecer bem a diferença entre o reflexo gag e o engasgo e como atuar nessas situações
> supervisionar sempre o bebê durante as refeições

Aqui o BLW da Nara está promovendo muitas transformações e desafios para mim. Para além da questão dos hábitos alimentares, que acabei adaptando para ter sempre comida saudável em casa, nunca tive que usar tanto paciência, confiança e empatia. Minha expectativa (como de todas as mães, imagino) é de que minha filha coma bem e coma de tudo. Mas tenho que entender que ela está em fase de introdução, que assimilar e apreciar os sólidos é um processo gradual, que tem dias que ela vai comer e dias que não, que vai demorar para ela saber usar o garfo, o prato, não jogar a comida no chão

Claro que muitos desses pontos podem ser verdadeiros desafios para nós e compartilho com vocês como tem sido minha experiência. O que mais me ajuda é tentar me colocar no lugar da Nara e pensar que ela precisa da minha paciência e compreensão, que ela sabe o que quer, quando quer e faz o que pode para conseguir.

Passa rápido e passa. Em poucas semanas eles aprendem a agarrar melhor os alimentos, passam a ter melhor domínio, ter menos gags, nós reconhecemos melhor os sinais de saciedade do bebê, a sujeira diminui bastante. É um momento lindo de descoberta, dá pra curtir sem botar peso às dificuldades e encará-las como desafios. Afinal a maternidade é isso, um desafio após o outro, não?

E se você acha que um ou mais pontos são muito complicados de enfrentar, talvez o BLW não seja o melhor método de introdução alimentar para você. E tudo bem!!! Existem outras formas de alimentar o bebê que são igualmente respeitosas, em breve pretendo falar sobre a Alimentação ParticipAtiva aqui no blog. Aguarde!

E você, que experiência está tendo com o BLW? Consegue pensar em alguma outra atitude que te ajudou a ter sucesso com o método? Ficou com alguma dúvida em relação a algum ponto? Compartilha com a gente!

0 Comentários para "6 chaves para garantir o sucesso do BLW"

    Deixar comentário

    Seu e-mail não será publicado.